Empreendedorismo digital: os 7 pilares essenciais

empreendedorismo

O empreendedorismo digital é o que viabiliza nossa Vida Larga. Se tivéssemos empregos formais, certamente não conseguiríamos manter de pé os pilares da nossa vida. Nossa alimentação não seria a mesma, nosso tempo de convivência em família não seria o mesmo e nossa percepção da realidade não seria a mesma.

Não sou muito de antagonizar as coisas. Não preciso dizer que ter um emprego é ruim para provar que o empreendedorismo é um bom caminho a se seguir. Conheço pessoas que se sentem extremamente satisfeitas trabalhando em empregos. E muitas dessas pessoas não passam os perrengues aos quais me exponho por ser empreendedor. Nada é para todo mundo.

Mas se empreender já é bom, imagina empreender em casa! Ou em um café! Ou a beira-mar! Sim, isso é possível. Graças à internet, que muitos costumam maldizer, achando que daqui só sai maldade e futilidade. Pois eu te digo: a internet é foda. Ela aproxima os iguais, ameniza saudades e serve como um importante recurso para compartilhamento e venda de informação. Como diz o Emicida – um exemplo e tanto de empreendedor dos novos tempos – é só “Saber usar os meios sem deixar os meios usar nóiz”.

Um empreendedor precisa de foco, muita resiliência, persistência, consistência e força de vontade. Eu não acho que empreender seja um dom mágico que somente alguns poucos privilegiados trazem consigo. É claro que se você é uma pessoa decidida, por exemplo, as coisas podem acontecer num ritmo mais satisfatório. Mas acredito que qualquer um de nós tem potencial para desenvolver os quesitos que viabilizam a vida empreendedora. Até porque, quem tende a criar padrões, tende a se estrepar perante os novos modelos de economia que vêm surgindo mundo afora. Com tantas possibilidades, não faz sentido pensar que somente um perfil de pessoa sirva para empreender.

Na verdade, eu vejo o empreendedorismo como uma grande jornada de autoconhecimento. É onde você descobre que todos os seus resultados dependem exclusivamente de você. E quando você decide levar isso para sua vida, você se torna uma pessoa muito melhor.

Neste artigo, apresento 7 fatores que, segundo minhas vivências nesse universo, são essenciais para que você prospere como empreendedor. Não são verdades absolutas, mas são as impressões de um empreendedor que vem colecionando passos e tropeços e se mostra humano enquanto a tendência é se mostrar infalível. E quem não erra, não é humano.

 

1 – Planejamento

Posso te garantir que todos os seus planos (ou a maioria deles) vão mudar ao longo de sua jornada empreendedora. Talvez seus objetivos não mudem, mas você vai conhecer outras possibilidades para que esses objetivos se tornem realidade.

Mas alcançar objetivos exige ação. E a ação é pra ontem. Todos os dias devem ser dias de realização. Não estou diluindo autoajuda. O que eu quero dizer é que se você tem um objetivo, o agora é o melhor momento para você começar a empreitada necessária para atingi-lo. Por isso você precisa saber o que vai fazer amanhã, depois de amanhã e semana que vem. Talvez tudo mude com o passar do tempo e você tenha que reajustar sua rota. Mas saber qual será o próximo passo é imprescindível. Se você não tiver isso em mente, vai acordar todos os dias perdido e frustrado por não conseguir sair do lugar.

Vai por mim. Eu sou péssimo em planejamento e já perdi muitas oportunidades por isso. Estou melhorando aos poucos e vejo muita diferença em meus resultados por causa dessa evolução. O primeiro passo foi encarar o problema de frente e assumir essa minha limitação.

 

2 – Área de atuação

No dialeto do empreendedorismo digital, chamamos a área de atuação de “nicho”.

Escolher sua área de atuação certamente não será seu primeiro passo. Mas terá sido o primeiro passo quando você tiver alcançado seus primeiros objetivos empreendendo online. Ficou complexo isso, né?

O que eu quero dizer é que muitas vezes não sabemos ao certo em que área atuar. Gostamos de muitas coisas diferentes, temos vários talentos (apesar de às vezes acharmos que não temos nenhum) e sofremos influências de cases de sucesso. Tendemos a imitar – mesmo que inconscientemente – as pessoas que já colheram frutos de seu trabalho, o que pode nos levar a fazer escolhas erradas.

Mas não há nada de muito errado nisso. Escolhas erradas e até mesmo a ausência de autenticidade podem fazer parte da jornada empreendedora. Aos poucos, nos tornamos mais independentes, enxergamos o verdadeiro papel dos gurus e mentores em nossa vida e passamos a construir nossos próprios caminhos.

Encontrar seu nicho ou área de atuação pode ser simples. Por exemplo, se você é fluente em inglês, pode criar um curso de inglês online. Se você escreve bem, pode trabalhar como redator. Mas você pode querer aproveitar esse momento de transição profissional para mudar também de área. Neste caso, você precisa se colocar em ação pra encontrar seu lugar ao sol. Estude, fale sobre o que você estudar, trabalhe voluntariamente, produza conteúdo… Enfim, desperte seu estado de aprendiz.

Viu como escolher a área de atuação pode não ser seu primeiro passo? Mas o primeiro passo para o sucesso será escolher a área ou o nicho correto.

 

3 – Público alvo

Você precisa saber com quem vai se comunicar e a quem vai oferecer seus produtos e serviços. Que tipo de demanda você pretende suprir? Quem são as pessoas que precisam do que você tem a oferecer? São homens? Mulheres? Homens e mulheres? Que idade essas pessoas têm? Onde elas vivem?

Quanto mais dados você tem, maiores são as chances de você acertar e maior será o impacto causado pelo seu trabalho.

Um exercício útil é colocar no papel todas as características possíveis da pessoa que representa seu público alvo. É o que chamamos de avatar.

Muitas pessoas se sentem confusas ao concluírem que seu público pode ser mais variado do que o esperado. Se este é o seu caso, tente separar esse público em grupos e adapte sua comunicação a cada um desses grupos.

 

4 – Contato com seu público

O universo online é como se fosse uma grande cidade, cheia de possibilidades. As pessoas trafegam pelas ruas dessa cidade, veem coisas interessantes, mas não conseguem processar tantos estímulos. A grande maioria das coisas passam despercebidas e as pessoas geralmente não conseguem (ou não se lembram de) ver novamente o que passou.

Quando você publica um conteúdo na web, você está concorrendo com todos os outros estímulos disponíveis nas ruas dessa grande cidade. Com tanta oferta, existe uma probabilidade enorme de seu conteúdo não ser notado e gerar pouco ou nenhum engajamento ou relacionamento.

É muito importante que seu conteúdo esteja sempre ao alcance do seu público. E mais importante ainda é você adequar sua mensagem ao seu público. Neste artigo, por exemplo, eu estou testando um tema nunca abordado no Vida Larga: empreendedorismo digital. Continuar ou não produzindo conteúdo sobre esse tema vai depender, entre outros fatores, do seu feedback. Por isso é tão importante para mim e para qualquer outro criador de conteúdo que você dê sua opinião sobre o que consome. E quando você estiver publicando seu próprio conteúdo, também vai desejar saber a opinião de sua audiência.

Publicar conteúdo num ritmo constante e manter um relacionamento com seu público aumenta o alcance da sua mensagem. Pessoas que curtem seus posts no Facebook, por exemplo, passam a ver suas publicações com mais frequência.

 

5 – Ferramentas

Dentre os fatores técnicos, as ferramentas digitais são o maior gargalo do empreendedorismo digital. A maneira como você lida com esses recursos fazem a diferença entre dar certo e dar errado.

Algumas dessas ferramentas apresentam uma curva de aprendizado maior, o que exige dedicação pra que possamos extrair todo o potencial de cada uma delas. Outras – como é o caso do Facebook – servem como ferramenta de trabalho para alguns e entretenimento para outros. Se você não estiver focado em seus objetivos, acessar uma ferramenta como o Facebook pode arruinar sua produtividade. Você deixa de ser gerador de conteúdo e se torna um consumidor, sendo que naquele momento você deveria estar… Advinha! Produzindo.

Então vamos combinar aqui que as ferramentas e plataformas digitais são ótimas. Nós é que às vezes deixamos de usá-las e somos usados.

Aqui vai uma listinha de ferramentas e plataformas que podem ser úteis para seu empreendimento digital:

Blog

Um ótimo recurso para mostrar ao seu público que você domina algo e quer compartilhar isso com o mundo. O blog, além de outras coisas, gera autoridade. Seus leitores passam a enxergar você como uma referência no mercado onde você atua.

Caso você tenha interesse em criar um blog, mas não tem ideia de como começar, te apresento o Blog is Cool – Escola Para Blogueiros. É um curso online, totalmente prático, que vai te ajudar a criar seu blog do zero, mesmo que você nunca tenha feito isso antes. Clique aqui para conhecer o Blog is Cool.

 

E-mail Marketing

Um pilar importantíssimo do marketing na internet é o e-mail. É a maneira pela qual você consegue se aproximar mais efetivamente do seu público.

As redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram) possuem ciclos de vida. Assim como o Orkut, tudo isso pode acabar um dia. Quando você tem uma lista de e-mails, é como se tivesse o endereço de seus clientes. Haja o que houver, vocês poderão manter contado. Seus fãs e seguidores nas redes sociais podem se perder com o declínio de uma delas.

Mas para entregar conteúdo por e-mail, você precisa de uma ferramenta adequada. As plataformas de e-mail marketing possuem recursos técnicos e permissões para enviar muitos e-mails simultaneamente com uma taxa de entrega satisfatória. Se você enviar e-mails para sua lista de contatos utilizando plataformas como Gmail ou Hotmail, poucas mensagens chegarão ao seu destino. Além disso, as ferramentas de e-mail marketing oferecem recursos para medir o desempenho de suas estratégias. Você pode ver quantas pessoas abriram sua mensagem, quantas clicaram em seus links, além de outros dados que, se bem analisados, indicarão que rumo você deve seguir com suas próximas ações.

O MailChimp é uma das ferramentas de e-mail marketing mais populares do mercado mundial. É uma ótima opção tanto para quem está começando no mercado, como para grandes empreendimentos. Além disso, a empresa oferece um plano gratuito que permite uma lista de até 2000 contatos e até 6000 disparos de e-mails mensais. Para começar, é mais que suficiente. Clique aqui para conhecer o MailChimp.

Outra boa opção é o LeadLovers, uma plataforma nacional que tem sido usada por cada vez mais empreendedores. O LeadLovers possui um grande diferencial por ser também uma ferramenta de Funil (sistema de envio automático de e-mails em uma sequência predeterminada). Clique aqui para conhecer o LeadLovers.

 

Recompensas digitais

Se você já tem algum conhecimento sobre marketing e empreendedorismo na internet, talvez você conheça esse recurso como “isca digital”. Eu não gosto de usar esse termo. Não me soa bem. Não vou entrar nos méritos da questão, mas isca me remete a algo predatório; e eu sou vegetariano 😉

Voltando ao que realmente interessa, recompensa digital é um conteúdo com alto valor agregado que serve como estímulo para que seus seguidores se cadastrem em sua lista de e-mails. Você oferece o conteúdo gratuitamente e as pessoas se cadastram em sua lista para recebê-lo. Tudo isso é configurado por meio da página de captura e a ferramenta de e-mail marketing.

Como recompensa digital, você pode produzir e-books, videoaulas, áudios, minicursos e vários outros formatos de conteúdo.

 

Páginas de captura

A melhor maneira de obter uma lista de e-mails é fazer com que as pessoas lhe forneçam seus endereços consciente e espontaneamente. Para isso, as ferramentas de e-mail marketing oferecem formulários para que seus seguidores se cadastrem e passem a fazer parte de sua lista.

Esses formulários podem ser inseridos em páginas, onde você pode se apresentar, apresentar seu trabalho e dizer o que as pessoas têm a ganhar se cadastrando em sua lista de e-mails.

Eu utilizo o OptimizePress para criar minhas páginas de captura. O OP (para os íntimos) é uma ferramenta poderosa e relativamente fácil de usar. Ajuda bastante quando você não tem conhecimento com programação; você faz praticamente tudo apenas com cliques do mouse. Clique aqui para conhecer o OptimizePress.

 

Meios de pagamento

Quando você vende pela internet, você precisa também receber pela internet. Um dos grandes benefícios do meio digital é a automatização dos processos. E com o processo de venda não é diferente. Imagina você vender um produto digital para 100 pessoas, ter que passar dados bancários para depósito e conferir todos os pagamentos, um por um.

Para realizar transações pela internet, você precisa disponibilizar meios de pagamentos para seus clientes. São empresas credenciadas para intermediar pagamentos online.

No Brasil, a empresa que mais se destaca no mercado é o Hotmart, que além de intermediar os pagamentos, funciona como uma grande vitrine de produtos digitais.

Mas no que diz respeito a pagamentos, temos também o PagSeguro, o PayPal e várias outras. Outras empresas como a Eduzz, por exemplo, vêm surgindo como concorrentes ao Hotmart no mercado brasileiro.

Cada um desses itens daria um livro, fora outras ferramentas que não citei aqui. Tentei detectar o que é mais importante e elementar e aos poucos vamos nos aprofundando no tema.

 

6 – Vontade

A vontade é o que nos move. Sem vontade, procrastinamos, erramos mais que o necessário e falhamos.

Isso nos confunde um pouco porque, de certa forma, ter vontade é o primeiro quesito para se fazer algo. Mas na prática não é bem assim. Além de querer, precisamos de outros fatores pra entrar em ação. A vontade, então, tem muito mais a ver com motivação. É preciso estar sempre com um objetivo em mente e a certeza de que você caminha em direção a esse objetivo todos os dias.

Só querer não é suficiente porque empreender não é fácil. As dificuldades sempre surgem e gastam nossa energia. Prospera quem gera mais energia faz com que essa energia seja suficiente para lidar com os perrengues e seguir em frente.

 

7 – Geração de valor

Tudo o que falei neste texto não servirá de nada se você não gerar valor para as pessoas que estiverem ao alcance da sua mensagem. O marketing é visto cada vez mais como uma ferramenta de geração de valor e cada vez menos como uma ferramenta de autopromoção.

Quando você ajuda, as pessoas se sentem gratas e se sentem estimuladas e seguras para comprar seus produtos e contratar seus serviços. Produzir uma recompensa digital é gerar valor, publicar conteúdo de qualidade é gerar valor, apoiar iniciativas alinhadas aos seus princípios é gerar valor, trabalhar voluntariamente para conhecer novas possibilidades de empreender é gerar valor.

O empreendedorismo digital se sustenta com esse princípio. Você vende algo por um preço e seu cliente tem a certeza de estar pagando por um produto ou serviço de altíssima qualidade que supera todas as expectativas.

 

Conclusão

Se você leu até aqui, meus parabéns. Isso significa que sua vontade de empreender existe aí dentro de você. E se você começar seguindo 10% do que está escrito neste texto, logo você vai querer construir uma versão ainda melhor de você mesmo.

E se eu puder te dar apenas um conselho para que você se torne um empreendedor, aí vai: desperte-se. Tente perceber melhor tudo o que há em você e nas outras pessoas, seja humilde o suficiente para aprender com o outro, tente perceber melhor as sutilezas do mundo que te cerca e vá além do que seus olhos podem ver. Isso é despertar-se. Isso é empreender… Empreender a própria vida.

Se você gostou deste texto e acredita que outras pessoas possam gostar também, fique à vontade para compartilhá-lo. Você pode utilizar os botões acima ou copiar o link na sua barra de endereço e espalhar nossa mensagem por aí.

Camilo Bracarense é Pai, Esposo, Designer de Interfaces, Desenvolvedor Front-End focado em WordPress e Empreendedor Digital. Trocou a carteira de trabalho por um home-office e agora empreende a vida. Pensa e escreve. Mais pensa que escreve. Sonhador, acredita que ainda vai surfar. Carrega pouca coisa em suas posses e um universo inteiro em seu coração. Já plantou algumas árvores e tem uma filha, a Manu. Falta o livro.

Vida Larga

Facebook

Inscreva-se para receber novidades

Scroll Up