Chá e meditação: o estar presente

Cha e meditacao - o estar presente

Quem nunca recebeu uma receitinha de chá, nem que seja porque reclamou com a avó ou mãe de alguma dor ou resfriado? Existe um chá pra tudo. Pelo menos aqui em Minas é assim. Nessa terra de benzedeir@s e curandeir@s, chá é mato!

Mas hoje quero falar do chá como também um exercício de meditação, um exercício para se lembrar e estar no momento presente de forma inteira e feliz.

Sempre fui adepta do chá, até porque minha avó materna era uma dessas abençoadas benzedeiras de Minas e, mesmo não a tendo conhecido, minha mãe herdou e repassou muitas histórias e receitas.

Há algum tempo tenho me dedicado a descobrir receitas e experimentá-las. Tenho aprendido sobre combinações e também sobre os benefícios de cada folhinha, semente, raíz. No Ayurveda o chá é coringa, usado na rotina diária como auxílio para equilibrar os nossos desiquilíbrios e ativar o agni, o nosso fogo digestivo. E é um prazer guardar cada erva no seu vidro e ir sentindo o momento certo de usá-las. Adoro o cheiro que a casa fica quando você joga a erva na água quente! Adoro segurar a xícara com as duas mãos para aquecê-las em dias frios!

E em uma dessas cintilâncias da vida, tive a oportunidade de participar de uma oficina linda oferecida por uma loja de ervas aqui da minha cidade, a Al Bazaar. A proprietária, uma moça linda e gentil, nos conduziu por um universo de sabores e aromas. Fomos descobrindo o perfume do jasmim que ajuda a ter noites tranquilas, do chá branco com menta para aquecer e animar o dia e as vias respiratórias, da lavanda para acalmar a mente e as dores de cabeça, do tomilho com cardamomo para acabar com a tosse, dentre muitas outras receitas. E ela também nos contou sobre a magia do chá, um pouco sobre sua história e sobre a delicada cerimônia do chá. Foi um dia de partilha regado ao chazinho feito na hora e a muita prosa boa. E antes de continuar, quero lhes contar que a Al Bazaar tem também a loja virtual com chás, temperos e massalas… os produtos são de ótima procedência, produtos do bem, fresquinhos e cuidados com muito amor pela Lívia. Vale a pena dar uma passadinha por lá 🙂

Bom, e foi a partir daí que comecei a rever a minha relação com o chazinho de todos os dias. Observei que muitas vezes eu tomo o chá em pé mesmo, conversando com o Camilo ou correndo atrás da Manu. Mas os melhores momentos são aqueles em que a casa toda silencia porque eles saíram para passear com a nossa cachorra ou quando sentamos no sofá depois de um dia corrido de trabalho. Porque é nesses momentos em que eu sinto de forma consciente o aroma do chá, posso segurar a xícara com as duas mãos sentindo o calor e o momento certo de tomá-lo para não queimar a língua. Porque é nesses momentos que eu paro e só tomo chá! Momento de descanso que encontra no chá um aliado para me fazer parar.

Assim é também o exercício da meditação: um convite para se estar no momento presente, de forma consciente e serena, atento a si mesmo, acalmando a mente e criando espaços de descanso entre um pensamento e outro. Na rotina diária pode ser o momento em que nos sentamos para somente meditar ou pode ser ser também o exercício de se estar presente em cada momento, seja lavando a louça, aguando a horta ou tomando o chá. Afinal de contas, a vida acontece é no presente, não é mesmo? Mas como temos dificuldade de mantermos a mente no momento presente! Pelo menos, eu tenho 🙂 Enquanto lavamos a louça, pensamos no que temos pra fazer à tarde ou que podíamos estar brincando com nosso filho. Enquanto montamos o quebra-cabeça com nosso filho, pensamos na horta que deve estar seca de sede. E enquanto aguamos a horta, “pensamos na morte da bezerra”. Tudo bem, deixar os pensamentos divagarem é bom, ou seja, “pensar na morte da bezerra” é bom. O problema é quando a mente nunca está onde as mãos estão, o problema é quando a mente parece um macaquinho pulando de galho em galho e isso cansa e esgota nossas energias.

Mas se é difícil manter a mente nas mãos que lavam a louça ou aguam a horta, podemos criar momentos para exercitar o estar presente. E tomar um chá pode ser um desses momentos. Dessa forma, nutrimos o corpo e a alma, acalmamos a mente e as emoções, aquecemos as mãos e o coração. É preciso parar para tomar o chá, é preciso estar atento à temperatura da água. É PRECIOSO sentir o aroma e o sabor! E de quebra ainda curamos alguma ziquizira que anda nos rondando, não é?

E fica o convite: prepare uma xícara de chá, escolha um cujo aroma lhe traga boas sensações, cujo sabor venha acompanhado de boas memórias ou experimente algo novo e surpreendente. Sente-se! E somente tome o chá. Simples assim! E que esse seja um momento de cuidado e carinho com você mesmo, que esse seja um momento de se esvaziar enquanto a xícara também é esvaziada. Que esse momento seja um presente diário de descanso, harmonia, serenidade, paz e alegria. Que esse momento seja de contentamento e gratidão!

Caso você não goste de chá, experimente de novo com essa nova perspectiva. Permita-se!

E para lhe ajudar, compartilho uma das receitas que costumamos usar no dia a dia, mesmo em dias quentes, tomamos chá. As medidas não precisam ser exatas, por isso uso métricas bem pessoais 🙂

 

Chá para aquecer a alma, ajudar o corpo a eliminar toxinas e também para despertar os sentidos:

2 dedos de uma raiz de gengibre fresco
1 pau de canela, não muito grande porque a canela adoça o chá e fica enjoativo.
6 bagos de cardamomo, abra a casquinha para acentuar o sabor.
2 punhados de cravo. O punhado se mede juntando os cravos com as pontas dos 5 dedos 🙂

Coloque os ingredientes em 1 litro de água e coloque no fogo até levantar fervura. Tampe e deixe curtir por uns 3 minutos. Depois é só coar e colocar na garrafa térmica e ir tomando durante o dia, momentos em que você para tudo e descansa um pouquinho. Dessa forma o chá fica mais forte. Eu gosto! Mas você pode também colocar os ingredientes no fundo da garrafa e colocar a água fervendo, deixe em infusão enquanto vai tomando. A quantidade de cada ingrediente também pode ser mudada de acordo com o seu paladar.

E caso tenha alguma receita especial, compartilhe com a gente 🙂 E sigamos juntos!

Se você gostou deste texto e acredita que outras pessoas possam gostar também, fique à vontade para compartilhá-lo. Você pode utilizar os botões acima ou copiar o link na sua barra de endereço e espalhar nossa mensagem por aí.

Rúbia é esposa do Camilo e mãe da Manu, ambos em tempo integral, “com muito orgulho, com muito amor”. Há pouco tempo largou um emprego seguro para se aventurar na vida como empreendedora, coisa que ela sempre duvidou que poderia ser. Já viveu “várias vidas”. Hoje é designer instrucional, instrutora de yoga, “origameira”, dona de casa aprendendo a fazer biscoitos e bolos, estudante e praticante do Ayurveda e de meditação. Fascinada pela magia das sementes, brotos, plantas e poções que enchem os olhos, a barriga e curam a alma. Com algumas dessas coisas ganha dinheiro e com muitas outras gasta a vida. Da cabeça e do coração continuam brotando ideias que se espalham por aqui e acolá, nessa vida larga.
  • mundominimalista blog

    o ritual de tomar chá eu tenho como terapia
    é otimo

    • Rúbia Ribeiro

      Pode ser mesmo uma terapia! Um momento de cuidado e atenção plena…
      Obrigada pela visita!

  • Que espaço amorzinho vocês têm aqui! Gostei muito do que já vi no blog. Engraçado que, enquanto lia o texto, só pensei em coisas boas. Estou num processo de mudança de hábitos para desacelerar a vida, então adoro ler relatos de outras pessoas que também buscam algo mais simples nesse mundo louco. Confesso que o mais complicado para mim é justamente isso que você mencionou: desligar e me ocupar de uma coisa por fez. Requer prática, imagino. Fico feliz de estar no caminho certo. 🙂
    Obrigada, também, por compartilhar essa receita de chá. Parece delicioso! Vou testar junto com suas outras dicas.
    Beijos,
    Bru
    http://www.moderando.com

    • Rúbia Ribeiro

      Olá, Bruna! Que bom ter você aqui 🙂 Que bom que gostou do blog e do texto, fico feliz de verdade. É muito bom compartilhar nossas ideias e ver que tem gente buscando coisas parecidas… é bem essa a sensação: de que estamos no caminho certo 🙂 Compartilho da sua dificuldade, mas vejo que a prática é o caminho… tem um mestre de yoga que diz: “Pratique e tudo virá!” Isso vale pra tudo que queremos pra nossa vida, né? Obrigada por estar com a gente e compartilhar um pouco das suas sensações e impressões. Beijo grande! Rúbia.

  • Patricia Campos

    Que texto lindoooo! Vou tomar meus chás de uma outra forma a partir de agora. Cheguei até o blog de vcs por meio de uma receita do Camilo no Portal Despertar, da Flávia Melissa. Tb sou Designer Instrucional e procuro viver uma vida simples, tranquila e significativa. Amo os ensinamentos do Ayurveda e tento aplica-los em meu dia a dia, assim como a alimentação viva. Tenho ctza que aprenderei muito com vcs! Gratidão!

Vida Larga

Facebook

Inscreva-se para receber novidades

Scroll Up